sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Fim-de-Semana no Algarve

Por motivos profissionais, é difícil aproveitar fins-de-semana completos como o do feriado de 15 de Agosto passado.
Resolvemos, pois, seguir para o nosso Algarve, não o Allgarve do Pinho.
Fizemos a inscrição no Ciência Viva no Verão para a observação de aves na Lagoa da Quinta dos Salgados, perto de Armação de Pera, e por isso, e aproveitando uma promoção de preços, ficámos instalados no Hotel Vila Galé Naútico http://www.vilagale.pt/pages/hoteis/?hotel=8.
Apesar de agradável e de ser um 4 estrelas, não se compara aos hotéis da mesma categoria que temos ficado em Espanha, tanto em instalações como em serviço de refeições.
Nunca tínhamos estado em Armação de Pera. Pensei que já, mas tinha-a confundido com o Carvoeiro.
Na Sexta-feira, já saímos de Lisboa tarde, pelo que a chegada ao hotel foi quase à 1 e meia da manhã.
No Sábado, a seguir ao pequeno-almoço, ficámos na piscina para podermos dar um mergulho.
Apesar dos prédios altos e relativamente feiosos, e obviamente de toda a confusão natural desta altura do ano, anda-se bem por aquelas paragens.
Junto ao mercado, há uma série de pequenas tascas onde se come bem e barato. Foi numa dessas que almoçámos e, depois, repetimos para jantar.
À tarde, fomos para a Praia dos Salgados que se estende desde a Lagoa dos Salgados até Armação de Pera.
A Praia dos Salgados é excelente. Uma extensão enorme de areal e um comprido passadiço de madeira que vai desde o parque de estacionamento até mesmo à praia. Esta zona é capaz de ser uma das maiores do Algarve sem construções mesmo junto à praia. Pelo menos, por enquanto.
Tirando o barulho dos aviões, que constantemente sobrevoam as praias de um lado para o outro a rebocar aquelas enormes tiras de publicidade, aquelas 2 horas e meia foram extremamente bem passadas.
Por volta das 18h30 fomos ter com os elementos do SPEA, Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves http://www.spea.pt/, organizadores da observação das aves.
Não obstante haver mais pessoas inscritas, só nós é que aparecemos para aquela hora. Os três elementos do SPEA foram muitos simpáticos. Para além dos flamingos, pudemos ver mais espécies de aves, como o pernilongo, várias espécies de patos, a garça-real, guinchos, andorinhas. Nunca imaginávamos que houve tanto bicho naquela lagoa.
Já agora, a Lagoa dos Salgados situa-se na Quinta do mesmo nome, a qual é propriedade privada.
Aparentemente, está bem razoavelmente bem conservada, mas encontra-se ameaçada por uma série de construções. Dum lado tem um campo de golfe bem encostado às margens, além de prédios em fase final de acabamentos. Do outro, sobretudo agora no Verão, é o corropio de carros que se dirigem ao parque de estacionamento da Praia dos Salgados.
Mas, mesmo assim, parece que as aves, pelo menos algumas, não se importam muito.
Depois das observações, voltámos para a praia e ficamos lá até ao cair da noite. Só uma nota negativa: ao regressar ao estacionamento pelo passadiço, eu (Paulo) fui atacado por dezenas de mosquitos. Já se está a ver o resultado.
Depois do jantar, ficámos surpreendidos pela quantidade enorme de gente nas ruas principais de Armação de Pera. À uma da manhã eram milhares de pessoas. E muitas lojas ainda abertas.
No Domingo, a ideia era ir até à praia, tendo em conta o calor. Antes, passámos pelo miradouro da Senhora da Rocha, que fica logo a seguir a Armação.
Fomos até ao Alvor onde um banho na água quente nos refrescou um pouco.
Seguimos para Lagos, onde fomos revisitar a Ponta da Piedade com as vistas para as rochas com formas peculiares.
Por pura curiosidade, fomos visitar a Aldeia da Luz e passámos junto ao Ocean Club de onde desapareceu a Maddie.
A praia da Luz estava completamente cheia. Aliás, acho que nesse dia todas as praias do Algarve deviam estar à pinha.
Assim, seguimos para o nosso destino seguinte: praia da Bordeira, junto à Carrapateira, Aljezur.
Esta praia fica em pleno Parque Natural da Costa Vicentina.
No caminho para lá, pudemos admirar os enormes penhascos, onde aqui se formam pequenas praias praticamente desertas.
A praia da Bordeira tem um grande areal, não só em comprimento, mas também em largura.
Para quem gosta de água quente, esta não é a praia ideal. É uma praia ventosa, cheia de pequenas ondas e parece ser uma Meca para os surfistas. Nessa tarde, havia bastantes, sobretudo estrangeiros.
No regresso, jantámos muito bem no Restaurante do Cabrita, na Carrapateira.
Na prática, foram pouco mais de 48 horas que souberam a pouco. Mas, pelo menos não podemos dizer mal do nosso Algarve e apesar de ser Agosto.

Sem comentários:

Enviar um comentário