segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Viagem Milão - Lisboa (Fotos Aéreas)

Desde há alguns anos que, por motivos profissionais ligados ao sector da Óptica Ocular, nos deslocamos a Milão para a maior Feira de Óptica do mundo.  A Exposição costumava ocorrer no início de Maio, mas, desde o ano passado, foi mudada para Março. Por isso, dentro em breve iremos fazer mais uma visita à capital da Lombardia.
As fotos que se seguem foram tiradas na viagem de regresso em Maio de 2007. Uma viagem tranquila ao princípio da tarde, numa tarde soalheira e do lado direito do avião antes da asa e, claro, junto à janela.


14h49 - Após levantarmos voo desde Malpenza, sobrevoamos a imensa planura do vale do Pó, com imensos campos cultivados, muitos deles sendo grandes arrozais.



14h52 - Milão, apesar de estar numa planície, está muito perto dos Alpes. Nesta foto podemos ver os Alpes que se situam entre a fronteira da Itália com a Suiça.



15h04 - À medida que vamos avançando para Oeste, começamos a passar por cima dos Alpes Marítimos, entre a Itália e a França.



15h04 - Apesar de já estarmos em Maio, a neve parece estar para ficar no cimo deste picos. Vista de perto, parece ser um creme de natas muito brancas com que alguém resolveu barrar aquelas rochas gigantescas.



15h04 - Nalgumas zonas, parece, no entanto, que já está a derreter.



15h05 - Os Alpes são montanhas jovens, que surgiram no Terciário. Essa juventude pode notar-se nos ângulos agudos formados pelos cumes.



15h05 - Como se pode ver, esta janela tem um óptimo ângulo de visão.



15h06 - Aqui já estamos a ver os Alpes do lado francês e começamos a preparar-nos para atravessar o mar Mediterrâneo em direcção à Catalunha.



15h33 - A travessia do Mediterrâneo termina com a entrada em Espanha um pouco abaixo de uma das zonas mais selvagens da Costa Brava - o Cap de Creus. Podemos observar o golfo de Roses  e a cidade do mesmo nome à esquerda. à direita fica Cadaques. 



15h41 - Em plena Catalunha podemos avistar os Pirinéus também ainda cobertos por um enorme manto branco.



15h55 - Os curiosos meandros do Ebro, em pleno Aragão, por altura de Caspe, servem para irrigar grandes áreas de cultivo.



16h02 - Um pouco mais à frente passamos por uma forma de relevo bastante peculiar numa das zonas mais inóspitas de Espanha, com pequenos pueblos espalhados pela paisagem, como Allueva. 



16h19 - Já em direcção a Lisboa, sobrevoamos o enorme Aeroporto Internacional de Barajas, em Madrid.



16h20 - Madrid é um gigantesco complexo urbano relativamente organizado e com vários aneis rodoviários. No centro é visível o Parque dos Jardins do Retiro onde está o Museu do Prado.



16h56 - Contra a luz do Sol, só é possível vislumbrar as formas. Mas é a minha foto favorita. Podemos ver o imenso estuário do Tejo, as duas margens, as duas pontes, a costa do Estoril e a Serra de Sintra coberta de nuvens.



17h00 - Para se fazer à pista por sul, o avião dirige-se para Setúbal. Nesta vista, temos toda costa desde o cabo Espichel até Troia.



17h00 - Passamos mesmo por cima de Troia, com as suas belas praias de areia branca.



17h03 - Para fazer a curva, o avião afasta-se da costa. Podemos ver a Serra da Arrábida em toda a sua extensão e beleza.



17h03 - O Portinho da Arrábida fica numa zona privilegiada da serra.



17h04 - Panorâmica onde podemos ver à esquerda, as encostas da Serra da Arrabida, ao fundo e ao centro a cidade de Setúbal, e, à direita, a península de Troia.



17h04 - Pormenor das arribas por aluras das Terras do Risco, na Arrábida.



17h07 - Já a caminho da pista, podemos ver a Lagoa de Albufeira, que já falámos num post anterior.



17h10 - "O deserto da Margem Sul", como foi designada pelo ex-ministro Lino, afinal não é bem um deserto. Podemos ver o Feijó e ao fundo o Seixal, entre muitos oásis que há naquele "deserto".



17h11 - Já com o trem de aterragem a postos, é altura de admirar a beleza da Ponte sobre o Tejo, do Cristo-Rei e do resto da paisagem.



17h12 - Vista do ar, Lisboa é mesmo a cidade branca. E diga-se o que se disser, é mesmo uma cidade bonita e para isso também lá  está o mar e o rio a seus pés.