domingo, 22 de novembro de 2009

Segóvia



Depois de Coca, o objectivo era visitar Segóvia. A cidade é património mundial da Humanidade. É famosa pelo aqueduto romano, pela Catedral de Santa Maria e pelo Alcázar, entre outros monumentos.



O aqueduto romano é imponente. É a obra de engenharia romana mais importante de Espanha. Data do século I ou II AC.



Foi construído com blocos de granito que não estão ligados por qualquer tipo de argamassa. Tem 818 metros de comprimento, 170 arcos e atinge a altura de 29 metros na praça de Azoguejo.



O Alcázar de Segóvia é o palácio real, que data do século XII. Está construído no cimo de um rochedo entre os rios Eresma e Clamores. Alberga o museu do Colégio Real de Artilharia.



No interior do palácio, para além das peças de artilharia e dos tectos magnificamente decorados, podemos admirar estes espectaculares vitrais.



Santa Maria foi a última catedral gótica construída em Espanha. Começou a ser edificada em 1525 e foi consagrada em 1768. Tem uma altura máxima de 33 metros na nave central e possui 18 capelas.
Na foto podemos ver parte das muralhas de Segóvia que já existiam quando Afonso VI de Castela a conquistou aos Árabes. Têm uma extensão de 3 km é composta por 80 torres.



O Alcázar visto deste ângulo faz-nos lembrar um castelo de um conto de fadas com as suas torres com os telhados em cone.



Apesar de Segóvia não ser uma grande cidade (quando comparada com outras grandes cidades espanholas), é riquíssima em património histórico e cultural e vale bem o esforço de uma visita.



Este dia de Inverno começou com Sol, depois vieram alguns chuviscos, mas o fim da tarde trouxe, de novo, o bom tempo.

sábado, 21 de novembro de 2009

Castelo de Coca


Nas férias do Carnaval de 2004, depois de termos estado em Trás-os-Montes, fomos fazer uma pequena incursão por terras de Castela e Leão. Após termos pernoitado em Valladolid, seguimos em direcção a Segóvia. Mas, antes, passamos pelo "ayuntamiento" de Coca, com o intuito de visitar o espectacular castelo, considerado um dos melhores exemplares do gótico-mudéjar espanhol.


A fortaleza foi construida entre 1464 e 1473, sob as ordens do mestre Alí Caro.
 Vimos, pela primeira vez, uma foto do castelo num guia de viagem sobre Espanha e ficámos, desde logo, com a vontade de o visitar logo que fosse possível.


Infelizmente, à hora que chegámos, o castelo estava encerrado para almoço. E porque queríamos também ter tempo para visitar Segóvia nesse dia, acabámos por ver a estrutura só de fora.


É impressionante o fosso que rodeia todo o perímetro do castelo, sendo uma forma de suprir o facto dele não estar assente sobre uma zona elevada.


Em Coca, apesar de ser um pueblo relativamente pequeno, existem outros motivos de interesse para além do castelo. Por exemplo, estas figuras zoomórficas pré-romanas, que representam animais ruminantes.


Também podemos ver a Igreja de San Nicolás, que data pelo menos do século XIII, e da qual só já resta a torre.

Nesse dia de Fevereiro, o tempo estava instável e ameaçava chuviscos. O que, de facto, veio a acontecer.


Aspecto da extensa planura de Castela, vista dos arredores de Coca, com a Sierra de Guadarrama ao fundo, com neve nas partes mais altas.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Sesimbra - castelo e porto

Num dos Domingos quentes de Outubro, aproveitámos para ir a Sesimbra para almoçar num dos muitos restaurantes que servem óptimos peixes grelhados. De Lisboa a esta vila peculiar são pouco mais de vinte minutos, pelo que, antes do repasto, resolvemos visitar o castelo medieval construido sobre uma colina sobranceira ao mar.
O castelo é constituido por uma muralha exterior que cerca todo o perímetro da antiga povoação e pela alcáçova onde moravam os nobres. Todo o espaço está muito bem arranjado e tratado. É pena não se verem mais visitantes. Não fossem os convivas de um casamento e não se via vivalma.
À tarde, e com o calor a apertar, visitàmos a zona portuária. Apesar de já termos estado muitas vezes em Sesimbra, nunca tinhamos estado no porto. Este foi uma agradável supresa.
Para começar é enorme. Depois, é interessante ver um porto de pesca ainda meio artesanal a funcionar.
Vale a pena visitar Sesimbra, apesar de um ou outro "mamarracho" que os nossos ilustres construtores empreiteiros cá da terra se encarregam de edificar.



Entrada da Alcáçova medieval. O castelo de Sesimbra foi muito importante na reconquista cristã e na defesa do território no fim do século XII e princípio do século XIII.


A torre de Menagem da Alcáçova, com a Serra da Arrábida ao fundo à direita. Nesta torre encontra-se uma interessante exposição gráfica explicativa da história do castelo.


A vila de Sesimbra vista do castelo. Apesar das feiosas construções modernas, esta terra é muito peculiar, e a enseada natural que dá origem ao porto é muito bonita.


O recinto interior da Alcáçova com uma torre de vigia. Dentro deste espaço havia várias casas, das quais só já restam os alicerces.


A Igreja de Nossa Senhora do Castelo, erguida em 1160, e que não pudemos visitar porque estava a celebrar-se um casamento.


Vista parcial da praia de Sesimbra com o Forte da Marinha à esqerda. Ao fundo ficam as falésias dos contrafortes da Arrábida. É a primeira vez que vejo tanta gente numa praia do continente em pleno mês de Outubro.


Existe um dique de protecção do porto, seguramente com mais de um quilómetro de extensão. Este gato é um dos muitos habitantes felinos que por lá andam. E tudo graça aos pescadores que os alimentam.


O porto de pesca com os típicos barcos coloridos e com o castelo no cima da colina ao fundo.


Outra perspectiva do porto de pesca. Gostamos de ver as águas relativamente limpas e transparentes do porto.


Com a maré a descer, a beira-mar torna-se um manancial para uma quantidade enorme de gaivotas.


Desta vez fizemos uso da nossa teleobjectiva para apanhar as gaivotas mais de perto.


As gaivotas não são todas brancas.


Sabe bem estar dentro de água.


E apanhar uns banhos de Sol também...


Panorâmica do porto recreativo do Clube Naútico de Sesimbra.