segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Praia da Ursa - Colares (Sintra)

Este último Domingo à tarde serviu para conhecer a praia da Ursa. É uma das maravilhas, provavelmente pouco conhecida da maioria das pessoas dada a dificuldade em lá chegar, do concelho de Sintra. É uma praia com alguma extensão situada entre os rochedos do cabo da Roca e os penhascos contíguos à praia da Adraga. As únicas formas de lá chegar são o barco ou um íngreme caminho de cabras com um desnível de mais de oitenta metros, seguramente. 


Quando passamos Azóia em direcção ao cabo da Roca, há uma placa a dizer "Ursa". Estacionamos o carro num pequeno largo e seguimos a pé por uma caminho de terra batida. Uns seiscentos metros mais à frente, iniciamos a descida para a praia. Logo desde o alto que a vista é esplêndida, com o azul do mar, a Ericeira ao longe e os dois enormes rochedos esbranquiçados do lado norte da praia.


Depois de mais de 15 minutos a descer, pois é preciso ter muito cuidado para não escorregar, dado que há muitas pequenas pedras soltas, chegamos a uma praia cuja sensação é de que se trata de uma praia virgem. Não é bem assim, pois havia alguns aventureiros a apanhar sol e até dois a banharem-se, mas pelo facto do areal estar isolado, sentiamos que estavamos num lugar a muitos quilómetros da civilização.


Àquela hora, a maré estava vazia, pelo que se formaram alguns pequenos lagos por entre os rochedos. A agitação das ondas estava lá um pouco mais à frente.


Podemos observar a força do mar neste amontoado de grandes blocos rochosos espalhados pelo areal. Estes enormes penedos mais resistentes são um paraíso para as aves, sobretudo gaivotas, mas não só.


Para o lado sul da praia, fica a encosta do cabo da Roca. Aqui, as ondas veem embater violentamente contra as duras rochas que com o tempo vão acabar por perder a batalha da erosão.


O por-do-Sol acaba por ser um espectáculo muito interessante de observar.


Valeu a pena o esforço de descer (e depois subir) para termos a impressão de estarmos na praia mais solitária desta zona de Lisboa, apenas com o barulho das ondas e das gaivotas por companhia.


O nome curioso de Ursa não  sabemos o porquê. Mas podemos especular. Será que é por causa da silhueta deste rochedo?


Ou será que é por causa deste aqui, o mais emblemático da praia, devido ao tamanho e à cor clara.


Curioso também este aglomerado de pedregulhos que se desprenderam dos enormes penhascos que rodeiam a praia. 
O pior foi mesmo a subida, pelo menos para mim (Paulo). Estou mesmo a precisar de fazer exercício físico. Quando chegamos ao carro já era noite escura. O que valeu foi que havia algum luar. 
Recomendamos vivamente a visita a este lugar selvagem ainda quase intacto e que, incrivelmente, fica aqui tão perto de Lisboa.  

1 comentário:

  1. Olá Graça e Paulo, deduzo pelas fotos que são de Lisboa
    um obrigado por nos visitar, são sempre bem vindos e tantos mais que possam encaminhar até a nós ilha da madeira
    interessante encontrar aqui algo muito bem feito como fotografia e descrição dos locais
    100 pontos por toda qualidade produzida
    meu nome Paulo Alexandre, paixão pelas montanhas e natureza em geral
    procurava uma foto para enviar para uma amiga de lisboa e vejo fotos de qualidade e deixa me ver, ora então tenho algumas desta ponta de são lourenço de um lugar que maior prazer me dá ir até ali esteja vento chuva ou sol, atenção que quando venta chove ou faz sol descoberto faz favor rsrsrsrs
    abraço para vocês
    PAlex

    ResponderEliminar